Arquivo do mês: dezembro 2017

Petrobras 2017: o ano em que a verdade é aceita como evidente por si própria

“Caiu a ficha! ”. Nos telefones públicos, orelhões, quando se completava a ligação a ficha caia. A expressão quer dizer que esse é o momento em que se passa entender alguma questão. Esse é o fato marcante para a Petrobrás em 2017. A verdade passou a ser aceita por si própria, sem ser ridicularizada ou rejeitada com violência. A maioria dos petroleiros e dos brasileiros percebeu a “Construção da Ignorância sobre a Petrobrás”. A partir de agora é evidente que a Petrobrás não está (e nunca esteve) quebrada, que não precisa vender seus ativos para reduzir a dívida, que a privatização prejudica o fluxo de caixa e compromete o futuro que já se torna presente. Leia mais

Anúncios

Política de preços de Temer e Parente é “America First! ”

Import_Diesel_dos EUA

A Petrobras adotou nova política de preços dos combustíveis, desde outubro de 2016, cujas consequências são avaliadas neste artigo. Em resumo, foram praticados preços mais altos que viabilizaram a importação por concorrentes. A estatal perdeu mercado e a ociosidade de suas refinarias chegou a um quarto da capacidade instalada. A exportação de petróleo cru disparou, enquanto a importação de derivados bateu recordes. A importação de diesel se multiplicou por 1,8 desde 2015, dos EUA por 3,6. O diesel importado dos EUA que em 2015 respondia por 41% do total, em 2017 deve chegar a 82% do total importado pelo Brasil.Leia mais