Sobre

Sou Felipe Coutinho,

Engenheiro Químico desde 1997, especialista em Engenharia de Processamento pela Petrobras desde 2000, com experiência nas áreas de Pesquisa aplicada, Desenvolvimento e Engenharia básica (PD&E) no Centro de Pesquisas (Cenpes) e na área de Projetos, especialista nas energias potencialmente renováveis com ênfase nos biocombustíveis.
Engenheiro de Processamento Sênior e Consultor (especialista técnico)
Presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (AEPET)

15 respostas para “Sobre

  • Arthur Ferrari

    Prezado Felipe Coutinho, gostaria de seguir este Blog.
    Abs Arthur Ferrari

    Curtir

  • Mariana Garcia

    Felipe,

    Fico muito feliz com a criação deste blog que considero um canal importante de propagação de idéias, reflexões e discussões. Parabéns!

    Um grande abraço,

    Mariana Garcia

    Curtir

  • Luiz Carlos Ramos Cruz

    Da mesma forma que meus antecessores,e em virtde do valoroso blog, me animo em segui-lo.Atc., Luiz Carlos Ramos Cruz.

    Curtir

  • Léo Christiano Soares Alsina

    A Petrobrás já teve presidentes piores. Coincidentemente este que aí está também é remenescente do governo fernando henrique, tal como aquele que chegou a tentar mudar o nome da empresa para Petrobrax.

    Muito importante que a AEPET mantenha e amplie seus meios de comunicação, principalmente em direção à juventude nas escolas.

    As roubalheiras descaradas patrocinadas pelos parttidos políticos no poder atingiram fundo o desempenho e a imagem da empresa que hoje vive e convive com situações constrangedoras.

    A bandeira do “Petróleo é Nosso” está em farrapos e suja. O Brasil, sua juventude e a AEPET estão diante de um grande desafio.

    Léo Christiano (editor e líder estudantil no Colégio Pedro II 1958/9/60.)

    Curtir

  • jean f r maciel

    Caro Felipe, sou colega seu da Petrobras, gostaria de saber o que vc tem a dizer sobre a questão do fluxo de caixa para os anos 2016-2017. Falam que esse período é o mais crítico. agradeço a atenção

    Curtir

    • felipecoutinho21

      Caro Jean,
      O caixa da Petrobras, de cerca de 100 bi de reais e a gestão para o alongamento da dívida podem lidar com a conjuntura de curto prazo. É importante conhecer todas as alternativas listadas no artigo. A dinâmica depende da cotação do real e do petróleo, ambas determinadas pela valorização do dólar, pela política monetária do Banco Central dos EUA. Tema para outro artigo.

      Curtir

      • jean f r maciel

        Caro Felipe, um outro ponto importante é comparar a dívida sobre patrimônio, dívida sobre EBITDA, com as demais operadoras. Ou ainda, a dívida sobre reservas provadas.
        abraço

        Curtir

  • Guilherme Senna

    Prezado colega,

    O que aconteceria com a inflação no país se a dívida da Petrobras fosse resolvida “através da criação de moeda pelo Banco Central”?

    Curtir

    • felipecoutinho21

      Caro Guilherme,

      O impacto inflacionário do pagamento de parte da dívida da Petrobras com 1) a venda de ativos rentáveis para multinacionais e fundos estrangeiros ou 2) pela monetização e capitalização da companhia em ação coordenada com o BC é exatamente o mesmo.

      Dinheiro novo de origem estrangeira ou criado pelo BC entra na economia brasileira e salda parte da dívida.

      Sobre essa alternativa recomendo os seguintes artigos:

      A estratégia atlantista para atacar a Rússia é a privatização
      http://resistir.info/russia/privatizacao_08fev16.html

      Sobre as leis de bronze da lumpemburguesia
      http://nildouriques.blogspot.com.br/2016/08/sobre-as-leis-de-bronze-da.html?spref=fb

      Curtir

      • Guilherme Senna

        Prezado Felipe, permita-me discordar.
        A simples emissão de papel moeda para pagar a dívida bilionária (ou parte desta) de nossa estatal provocaria um efeito inflacionário nefasto, atingindo principalmente as camadas mais pobre da população. Hoje a Petrobras possui uma dívida líquida de mais de R$ 300 bilhões de rais. A título de curiosidade, todo o meio circulante em reais, ou seja, todas as cédulas e moedas de reais hoje circulando nas mãos das pessoas, empresas, cofres de bancos, compulsórios etc, somam R$ 220 bilhões, valor disponível no site do BACEN. Em outras palavras, a emissão de papel para pagar parte da dívida representa um valor superior a todo o meio circulante da moeda. Estes recursos que seriam repassados a bancos e outros credores, invariavelmente desaguariam na economia real.
        Com relação à venda de ativos, operação que na minha opinião, tem de ser avaliada caso a caso e, obviamente não ser efetivada a “preço de banana”, o impacto não é o mesmo. Quem compra um ativo, seja utilizando dólares, libras, ienes ou coroas norueguesas, está sujeito a uma operação de câmbio, ou seja, entrada de moeda estrangeira que tem de ser convertida em moeda nacional, o que provocaria a valorização do real perante aquela moeda. Portanto, não creio que emissão de papel moeda solucione a dívida gerada por más decisões, conjuntura econômica e roubalheira.

        Curtir

  • Sérgio Beno Malschitzky

    Não é necessária a emissão de papel moeda para saldar a dívida da Petrobras! O Tesouro Nacional dispõe de uma reserva de US$ 370 bilhões, aproximadamente R$ 1,5 trilhões, bastaria que o Governo quitasse a dívida da Petrobras em troca de maior participação em ações, aumentando a sua parcela na empresa, investindo apenas 15% das Reservas Internacionais! Mas parece que a intensão não é esta, mas sim vender a Petrobras.

    Curtir

  • Luiz Carlos Ramos Cruz

    Não sou petroleiro de direito, mas considero-me petroleiro de fato. Defendo a Petrobrás como patrimônio do povo brasileiro e lutarei pra que estes abutres tirem a mão suja da empresa que foi construída pelo povo na rua.. Contem comigo pra ocupar a Petrobrás ! Abs soberanos do Luiz Carlos – Todo o Petróleo Tem Que Ser Nosso !

    Curtir

  • Eduardo de Andrade Dutra

    Olá Felipe,
    Bom dia!
    Tenho acompanhado seus artigos e acredito que tenhamos sintonia.
    Sou ex-empregado da Petrobras e estou tocando um Projeto que acredito ser capaz de ajudar como catalizador de um Brasil e de um mundo melhor.
    Se você ou qualquer pessoa que ler esta mensagem se interessar por mais detalhes e eventualmente participar peço fazer contato com devidabrasil@gmail.com. Fraterno abraço.

    Curtir

  • Alberto Diniz

    Prezado Felipe Coutinho e demais “Apepetianos”, a iniciativa do blog é salutar, as publicações no portal da AEPET é salutar, porém, são fracas em termos de efeito. Fracas, em termos de público alvo formador de opinião. O que a AEPET (com ou sem sindicatos que, por sua vez possuem a imagem hiper desgastada) deveria investir é que suas colocações, artigos, argumentos, etc…publicados no blog e no portal, o fossem, efetivamente, publicados (ainda que não na forma integral) na grande mídia. E nas redes sociais também que demonstram ter grande poder de abrangência (vide o asqueroso “MBL”…). Se puderem, construam melhores relações com a mídia, com colunistas da mídia, com editores, etc…claro que Globo e Veja são quase impossíveis e o custo bem oneroso, mas pode-se cercar com outras de médio porte, nacional e regionais. Sds,

    Curtir

  • JULIANE DA COSTA FURNO

    Olá Felipe! Fico muito feliz em acessar teu blog. Você tem algum debate sobre a geração de empregos (diretos e indiretos) desde 2003, quando a Petrobrás retoma seu papel de desenvolvimento em outros setores que não somente na E&P?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: