Arquivo do autor:felipecoutinho21

Petróleo, mico e passaporte

Qual país se desenvolveu exportando petróleo por multinacionais estrangeiras? Qual país, continental e populoso como o Brasil, se desenvolveu exportando petróleo em troca de dólares?

O petróleo brasileiro do pré-sal é um mico, do qual precisamos nos livrar o mais rápido possível? Ou o pré-sal é um passaporte inédito para o futuro? Leia mais

Anúncios

O maldito colonizado

O projeto colonial reúne aspectos econômicos, políticos e culturais. Desde a chegada dos europeus, desenvolve-se esse projeto no Brasil. Tem sido um sucesso esse projeto de exploração e exportação predatória do pau brasil, açúcar, borracha, minérios, carnes e chegamos agora ao ápice, o petróleo. Leia mais


O fim do petróleo barato e do mundo que conhecemos

Peakoil

Não há substituto para o petróleo barato de se produzir, mas ele acabou e a humanidade vive as consequências econômicas e sociais deste fato. Neste artigo trabalho com as informações da indústria mundial, o investimento em Exploração e Produção (E&P) e a produção agregada desde 1985 para evidenciar o aumento do custo médio de se encontrar e produzir cada barril adicional de petróleo, para então avaliar as consequências para a indústria e a sociedade. Leia mais


Energia e desenvolvimento soberano em dez lições

las venas abiertas

O desenvolvimento do Brasil depende da utilização dos nossos recursos naturais em benefício da maioria dos brasileiros. Temos que superar a sina colonial e condenar as elites que servem aos interesses estrangeiros, em prejuízo da maioria. Os antigos senhores de engenho e seus feitores, são hoje os 0,01%, os rentistas, os executivos vassalos das corporações multinacionais e, no topo da cadeia parasitária, os banqueiros. Apresento 10 fatos que todo brasileiro precisa conhecer, condição necessária para que se mobilizem para se apropriar das nossas riquezas, em benefício dos 99,99%. Leia mais


A realidade desafia a estratégia atual da Petrobras

Retorno sobre vendas

Neste artigo, em cooperação com o economista Cláudio Oliveira, avaliamos criticamente a mensagem do Diretor Nelson Silva aos funcionários da Petrobras. Desenvolvemos um contraponto em relação a estratégia corporativa da Petrobras sob o comando de Michel Temer e Pedro Parente.

Insistir na atual estratégia de focar na produção de petróleo cru e privatizar os ativos que aumentam seu valor é confrontar a realidade. Mais sensato é mudar a estratégia, agregar valor ao petróleo, interromper a venda de ativos e preservar a atuação corporativa integrada, o que garante a geração de resultados diante da variação dos preços do petróleo. Enfim, é preciso entender a realidade, mudar o plano estratégico e parar de enfrentar desnecessários desafios auto impostos. Ao invés de errar no planejamento, culpar a realidade e insistir no erro esperando que a realidade mude, é melhor compreender a realidade e mudar o rumo estratégico. Leia mais


A energia é o meio e a Petrobras é a chave para o desenvolvimento soberano do Brasil

Artigo escrito para compor o livro “Geopolítica e poder: Brasil, uma potência mundial energética? ” da editora da Escola Superior de Guerra (ESG)

O petróleo é uma mercadoria especial, na medida em que não tem substitutos em equivalente qualidade e quantidade. Sua elevada densidade energética e a riqueza de sua composição, em orgânicos dificilmente encontrados na natureza, conferem vantagem econômica e militar àqueles que o possuem. Leia mais


Avaliação dos “maus investimentos” e da corrupção na formação da dívida da Petrobras

ilustr20170626

Este é o terceiro artigo da série na qual trabalhamos para revelar a realidade da Petrobras. No primeiro demonstramos “O mito da Petrobras quebrada”[1], no segundo justificamos porque a “Principal meta da Petrobras, na gestão Parente, é temerária”[3]. O mito foi o pilar ideológico do Plano de Negócios e Gestão (PNG 2017/21)[2] que tem como principal objetivo privatizar, com o álibi da redução do endividamento. O mito da Petrobras quebrada é alimentado pela lenda do endividamento ameaçador. O “terrível monstro” do endividamento teria sido alimentado pela corrupção e por maus investimentos. Agora ele estaria a ponto de quebrar a Petrobras e a única alternativa seria privatizar os ativos da estatal a toque de caixa. Neste artigo vamos estimar o impacto da corrupção e dos investimentos em ativos ditos improdutivos no endividamento da Petrobras. Será revelada a lenda da origem perversa do endividamento que alimenta o mito da Petrobras quebrada e suporta ideologicamente o objetivo da privatização fatiada da estatal que é disfarçada pela meta da redução da alavancagem. Leia mais